8 Razões para falhas nos rolamentos

  • Post category:Helibombas
You are currently viewing 8 Razões para falhas nos rolamentos

Entenda por que essas peças podem acabar não funcionando como deveriam no seu equipamento de transferência de fluidos

Os rolamentos são parte essencial de uma bomba de transferência de fluidos. São desenhados para reduzir a fricção entre as partes rotativas em um eixo fixo e classificados de acordo com o tipo de operação, direção das forças de rotação, velocidade e movimentos. As unidades são lubrificadas com óleo ou graxa e podem ser abertas, fechadas, radiais ou de contato esférico.

Por que os rolamentos falham?

Entender o que causa falhas nessa parte tão essencial de um equipamento de transferência de fluidos ajuda a evitar problemas e manter um bom funcionamento. Entenda mais:

1. Falta de lubrificação

A falta de lubrificação faz com que as esferas do rolamento raspem umas nas outras ao invés de deslizar. Como são de metal, o calor logo leva a falhas e defeitos.

2. Excesso de lubrificação

Quantidades excessivas de graxa nos rolamentos geram espuma e resultam em perda de energia e aumento de temperatura. Assim, há mais desgastes internos.

3. Contaminação do fluido de lubrificação

Quando há falhas mecânicas na bomba, pode haver vazamentos diretamente nos rolamentos. Água ou outros fluidos contaminam os rolamentos eliminando a eficácia dos lubrificantes ou levando a problemas químicos, que fazem com que a peça não funcione como o esperado.

4. Folga interna

Rolamentos podem ter excesso de fricção, superaquecimento e falhas imediatas se não instalados de forma correta. Se muito próximos, pode haver contato entre o metal, levando a desgastes e sobrecargas. Se muito folgados, podem fazer com que as hastes oscilem, o funcionamento não seja como deveria para absorver a carga radial e o fluxo de lubrificação não mantenha os elementos refrigerados.

5. Sobrecarga ou esgotamento

Se uma bomba está operando muito longe de sua curva, a viscosidade do fluido é maior que o esperado ou há grandes quantidades de sólido sendo bombeadas, pode haver sobrecarga nos rolamentos. Isso leva a fricção em excesso, superaquecimento e falhas.

6. Altas temperaturas

Mais uma vez, se a bomba está operando longe de sua curva, se a viscosidade do fluido é mais alta do que deveria, sólidos são frequentemente transferidos na aplicação ou fluidos de alta temperatura estão sendo bombeados, os elementos internos podem superaquecer rapidamente. E se os rolamentos começam a operar em temperaturas além do máximo suportado, o lubrificante escapa da unidade e o equipamento começa a apresentar falhas.

Os rolamentos, normalmente, só alcançam a temperatura comum depois de operarem por algumas horas, por isso é importante haver checagens frequentes.

7. Desalinhamento

O desalinhamento causa a absorção de cargas radiais irregulares pelos componentes que não foram preparados para um nível tão alto de tensão.

8. Desgaste do invólucro

Com o desgaste do invólucro, os rolamentos se movem de maneira mais livre e podem acabar fazendo movimentos excessivos. Isso pode fazer com que o fluxo de lubrificante se comporte de maneira diferente, levando a uma lubrificação inadequada da unidade.

Rolamentos bem cuidados são sinônimo de um bom funcionamento

Por serem uma parte tão importante de uma bomba de transferência de fluidos, os rolamentos precisam de atenção redobrada para terem um bom funcionamento garantido. Isso faz com que todo o equipamento se comporte como deveria e a aplicação seja eficaz.

Você sabe como maximizar a perfomance de uma bomba anfíbia?